Estrada Nacional 2

“Estrada Nacional 2, a Route 66 portuguesa, A mais longa estrada de Portugal e uma das mais longa da Europa!” Foi mais ou menos isto que captou a minha atenção, num artigo que li em 2016. Atravessar o interior de Portugal de Norte a Sul, pareceu-me desde logo, uma jornada irresistível, para quem como eu, gosta de desafio e, acima de tudo, sair à descoberta… Continue reading “Estrada Nacional 2”

Anúncios

Curso de Iniciação ao Alpinismo

“Não existem verdades absolutas!”

Ouvi esta frase durante umas das excelentes conversas de grupo que tivemos durante o curso de iniciação ao alpinismo e dei por mim a reflectir nela e no quanto se aplicava a mim, à minha vida nestes últimos anos e aos momentos que estava a viver no Parque Natural de las Ubiñas – La Mesa.

Se há alguns anos atrás, alguém me dissesse, “Diogo, tu um dia vais começar a correr, a fazer maratonas, correr horas e dias a fio na Montanha” eu provavelmente começaria a rir e responderia que o meu único desporto era o sofá e o comando da Tv, enquanto acendia mais um cigarro… Continue reading “Curso de Iniciação ao Alpinismo”

Giestoso – 12 Cumes 12 Meses

Castro Laboreiro e a Serra do Laboreiro, é provavelmente um dos sítios menos conhecidos do Parque Nacional Peneda Gerês. É um daqueles sítios, onde sentimos como que um abrandar do tempo. Um lugar, onde a ruralidade serrana está muito marcada em tudo o que vemos, fruto de um isolamento quase secular, que esta região minhota, ainda hoje experiencia. Este é um sítio de uma beleza ímpar, onde a frieza áspera e escultural dos penedos graníticos, se misturam com um planalto de urzes, tojos e carquejas, criando um cenário quase dramático…

Eram 9:00 quando partimos à conquista de mais um cume e à descoberta de uma nova serra. Continue reading “Giestoso – 12 Cumes 12 Meses”

Anillo Vindio – 2ºDia por Diogo Almeida

Terminei o 1º dia com uma sensação de êxtase… Há bastante tempo que não me sentia tão embrenhado na Montanha, há muito que não me sentia tão deslumbrado com tudo aquilo que ia vendo, vivendo e sentindo. Acordamos bem cedo, às 7am já estávamos a tomar o pequeno almoço. Queríamos começar o quanto antes, pois as indicações que dispúnhamos para a 1ªparte do 2ºdia eram no mínimo assustadoras! 8 a 10 horas eram as previsões que recebíamos dos companheiros de refúgio e do guarda do mesmo. 8 a 10 horas para fazer pouco mais de 16k que separavam o refúgio de Vegarredonda do refúgio de Vegabaño. Demasiado tempo para o que estou habituado, mas o respeito pela montanha e por este lugar único, davam boas indicações para aquilo que iria ser um dia grandioso. Continue reading “Anillo Vindio – 2ºDia por Diogo Almeida”

Anillo Vindio – 1ºDia por Natália Amoedo

Quando se decidiu a viagem até ao picos, o plano original era a subida a Torrecereado, o ponto mais alto dos picos da Europa. No entanto, o augúrio de mau tempo e a falta de boleia do nosso guia nos últimos dias, alterou os planos.

Hipóteses, havia várias, pois o parque oferece inúmeras rotas. Optamos pela rota do Anillo Vindio, pois era uma rota que incluía pontos turísticos principais, daria uma ideia de como seriam os picos e nos prepararia para uma futura rota mais abrangente. Assim preparamos toda a logística para fazer a rota em 2 dias, procedendo à reserva antecipada do refugio onde iríamos pernoitar. Saímos cedo de casa rumo a Posada Valdeon, pois ainda teríamos pela frente uma longa viagem, tendo decidido fazer uma curta paragem em Las Médulas, para esticar as pernas, almoçar e conhecer uma região que é património da Unesco. Continue reading “Anillo Vindio – 1ºDia por Natália Amoedo”

Lombada Grande – 12 Cumes 12 Meses

“Expect nothing and appreciate everything – Não esperes nada e aprecia tudo”

Não sei bem porquê, mas dei com esta frase recentemente e tenho-a tentado colocar em prática nas aventuras que vamos fazendo. E a verdade é que me tenho surpreendido e apreciado muito.

Não ia à espera de nada de extraordinário nesta visita ao Parque Natural de Montesinho. Talvez por não conhecer praticamente nada da região, ou por não ter conseguido recolher grande informação. Talvez porque poucos exploram esta zona, talvez porque não fosse correr mas sim simplesmente caminhar… Continue reading “Lombada Grande – 12 Cumes 12 Meses”

O fim da linha… Tua

Como em muitos momentos das nossas vidas, fazemos muitos planos e muitos projectos, mas por algum motivo, alguns acabam por ficar sempre para trás! A visita ao Tua foi um desses planos, que fruto de muitas outras coisas foi sendo sempre adiado.

Não me sinto esclarecido minimamente, para falar sobre a justiça do projecto da barragem. Mas a verdade é uma, todo o vale ficará irremediavelmente diferente. Algo muito característico deste vale, o som do rio, o som dos rápidos, o som da corrente não será mais o mesmo. Cerca de 400 hectares de olival, montado e vinhas, bem como habitats protegidos já começaram a desaparecer, numa espécie de lenta agonia enquanto o nível da albufeira vai subindo. Foi precisamente isso que senti este sábado, enquanto percorria finalmente a linha. A morte do vale tal como o conhecíamos é por demais evidente. Tudo à nossa volta nos anuncia isso. As pontes a serem desmanteladas, os túneis britados, a vegetação que foi removida, a que não foi e que parece também ela saber que o seu fim está próximo. Não é mais possível caminhar a linha, o fim chegou. Continue reading “O fim da linha… Tua”

Cume da Louriça – 12 Cumes 12 Meses

Dizem que voltamos sempre aos sítios onde fomos felizes! São de facto bem fortes as experiências que tenho vivido na Serra Amarela. Sempre que vou para a Montanha sinto-me sempre invadido de uma sensação de grande liberdade. Por algum motivo, sempre que vou à Serra Amarela, esse sentimento é exponencialmente ampliado. Digo sempre que esta serra é um dos locais mais selvagens que conheço. Apesar das marcas visíveis da atividade vezeira, com todos os abrigos que aqui se encontram, tudo parece fazer parte da paisagem e está em grande harmonia com todo o espaço. Aqui podemos correr e caminhar, sem trilhos definidos, não há estradões e mesmo os antigos caminhos lajeados são escassos! Continue reading “Cume da Louriça – 12 Cumes 12 Meses”

Travessia do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses 

Acho que não há nada que nos prepare para aquilo que encontramos na Travessia dos Lençóis Maranhenses. Não há imagem, foto ou vídeo que nos dê um vislumbre do que este sítio realmente é… A majestosidade do local, a beleza inebriante de tudo aquilo que a nossa vista alcança, mas também a miséria e a desolação em que os nativos vivem.É acima de tudo uma experiência profundamente sensorial, humana e cultural pois vivenciamos sempre uma dualidade de sentimentos altamente antagônicos.

O Brasil é um lugar tão vasto, que demoramos mais de 16 horas, para viajar de Paraty, no estado do Rio de Janeiro até Barreirinhas no Maranhão. Como em tudo o que temos vivido desde que aqui chegámos, foi uma aventura! Continue reading “Travessia do Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses “

Área de Proteção Ambiental do Cairuçu – Subida a Pedra Jamanta

“Isto é pura Mata Atlântica” foi esta a única descrição que tive desta região de Paraty e da península de Joatinga.

Esta é uma zona famosa pelas suas praias paradisíacas, rios límpidos e cascatas escondidas, a Joatinga possui ainda várias montanhas à beira mar das quais o Cairuçu se destaca por ser a maior de todas. Com cume a 1087m de altitude – Pedra Jamanta.

Localizado entre São Paulo e o Rio de Janeiro, esta é uma região onde diferentes parques e zonas de protecção se interceptam. O Parque Nacional da Serra da Bocaina, o Parque Estadual da Serra do Mar e a Área de Proteção Ambiental do Cairiçu onde nos encontrávamos. Tudo está densamente florestado, muito diferente de tudo o que já tínhamos vivenciado! Tínhamos acabado de chegar à casa onde ficaríamos alojados, com uma localização e uma vista sobre a praia verdadeiramente soberba, mas como dizia o Alex, o nosso amigo e anfitrião, “o melhor pode ser visto 50m à frente, nas vossas costa”. Continue reading “Área de Proteção Ambiental do Cairuçu – Subida a Pedra Jamanta”